segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Vitória para dar moral

Foi uma vitória maiúscula, o Avaí quebrou o tabu de não vencer o Internacional em Florianópolis pelo Campeonato Brasileiro. Por mais que tenha ocorrido erros de arbitragem, e não podemos ser desonestos conosco mesmo, o Leão não tem nada haver com isso e sapecou 3x0 no colorado gaúcho.

É verdade que no início dos dois tempos, fomos amplamente dominados pelo Inter. A partir dos 15 minutos, equilibramos o jogo e fomos melhores na partida. Quando Camacho achou espaço para jogar, o Avaí cresceu no jogo.

 Kleina enxergou bem o sufoco que estávamos tomando pelo lado direito de defesa, com a mudança de posicionamento do atacante Rômulo, trocando o garoto da esquerda para direita, além de conter as investidas do colorado gaúcho, Nino Paraíba começou a aparecer no jogo.

No início do segundo tempo o panorama não mudou, o Inter passou a tocar a bola e envolver o Leão, parecia questão de tempo até sair o gol da equipe gaúcha. Marquinhos que fez um bom primeiro tempo mas vindo de longa inatividade sentiu o cansaço, então o treinador avaiano mexeu e colocou Anderson Lopes, aumentando a força do time avaiano.

Mas a substituição decisiva aconteceu por lesão, Nino Paraíba sentiu cansaço e principalmente o forte calor e foi substituído por Pablo. E em uma de suas primeiras investida, o lateral avaiano cruzou e o lance ocasionou o pênalti avaiano, convertido por Léo Gamalho.

A partir dai, o Avaí marcava bem, fechava os espaços e sempre era perigoso nos contra-ataques, uma vez que o Inter se atirava para cima deixando a defesa sempre no mano a mano. Vagner, que voltou muito bem ao time, repôs a bola rápido, Camacho ganhou na cabeça e serviu Léo Gamalho que não perdoou. Era 38 minutos do segundo tempo e o Avaí decretava uma importante vitória. Ainda deu tempo do Paraguaio Camacho fazer um golaço, decretando a goleada.

Mais do que jogar bem, o importante era a vitória. Dentro de nossas possibilidades, gostei muito do que apresentou o Avaí. Precisamos acreditar que já na quarta, diante de outro poderoso do futebol brasileiro, podemos trazer pontos. Vai ser uma briga intensa até o final do campeonato, a Ressacada precisa criar uma atmosfera favorável sempre em nosso favor. O fato de Marquinhos estar em campo, mesmo longe de suas ideais condições físicas, significa muito para o time.

Espero que diante do Flamengo possamos ter a mesma postura, marcação forte e compactando o time sem dar espaços ao adversários, com coragem para jogar quando estiver de posse de bola. Léo Gamalho esta caindo nas graças do torcedor avaiano, não lembro de algum atacante que com nossa camisa, tenha um início tão bom quanto ao que Léo vem tendo. Espero que ele consiga manter, e que agente continue a se distanciar da zona incômoda.


terça-feira, 25 de agosto de 2015

A força que virá das arquibancadas

Por mais que eu discorde de muita coisa de dentro do Avaí, chegou o momento de novamente de nós torcedores empurrar o time. São esses jogadores que irão nos representar até o final do campeonato, e são estes mesmos que precisamos carregar no colo em direção as vitórias.

Não podemos deixar passar esta oportunidade de vitória no domingo, olhando para trás, o quanto sofremos nos últimos 3 anos na Série B, até aquele acesso inesquecível na última rodada, dependendo de 3 resultados combinados com a nossa vitória para conseguir o acesso.

Não podemos nos acostumar no Z-4, sair o mais rápido possível passa ser o nosso único objetivo. Certamente com uma vitória no domingo diante do "poderosos Internacional", passaremos uma semana tranquila, diminuindo a pressão que hoje está em nossos ombros.

Domingo não podemos ter dúvidas, é lotar a Ressacada e empurrar os 90 minutos o time para a vitória. Se após a partida o resultado não for o esperado, é juntar os cacos e partir para próxima. Daqui para frente serão 18 decisões, sendo que 9 delas serão na Ressacada.

 Ainda podemos mudar esses fracos números que temos em nossos domínios, a Ressacada que antes era nosso aliado, passou a ser um campo qualquer. Temos mais 9 batalhas para mudar a história, e a primeira dela, é já no domingo as 11:00 horas da manhã, contra o Inter.


domingo, 23 de agosto de 2015

Mancharam nossa história

Mais uma triste marca na história, quando digo que houve mais uma mancha na história, não refiro-me aos jogadores, porque esse são fracos e ruins mesmo, mas digo em relação ao departamento de futebol do AVAÍ, sem exceção, e principalmente ao presidente do clube Nilton Macedo.

Ainda não engoli, um clube que se diz profissional, com ISO 9001 colocar um jogador sem contrato em vigor para jogar. Naquele momento, todo o departamento de futebol já deveria ter sido demitido, todos por justa causa, mas o "enérgico" presidente preferiu passar a mão na cabeça.

Não me entra na cabeça um clube que manda a Fortaleza para acertar com um jogador, no caso William, o vice presidente do clube e um estagiário. Alguém pode me explicar porque Batistotti e Evando foram até a capital do Ceará ao invés do diretor de futebol ou vice de futebol do Avaí?

Nosso clube é uma bagunça, quando falei que era um erro a renovação de Geninho, torceram a cara. E mais, entregaram a chave do clube nas mãos dele, toda contratação teria o aval dele assim como as indicações. Geninho veio de volta, indicou e aprovou um monte de íngua e obviamente foi demitido pela a péssima campanha. 

Confesso que não tinha opinião formada sobre Gilson Kleina, mas não demorou muito para ver que seria mais um enganador. Um treinador que escala Tauã de titular, jogador que era reserva do Guarani da Palhoça ano passado, com todo respeito ao Guarani, não pode ser levado a sério.

Gilson Kleina é muito fraco, usa sempre como desculpa que o time esta em formação. Estamos adentrando o mês de Setembro, fizemos o 20º jogo e ele vem com essa desculpa? Seu time é uma bagunça só, temos a pior defesa do campeonato juntamente com o Vasco da Gama, e ainda tem "visionário" dizendo que o trabalho dele é bom?

Que o elenco é fraco, isso todos  nós sabemos, os entendidos e espertos do departamento de futebol do Avaí contrataram um monte de jogadores desqualificados, sem a mínima condição de jogar uma série a, mas mesmo assim daria de fazer coisa melhor. Sinceramente não consigo entender as escolhas do Kleina, Eltinho, Tinga, Tauã, Conrado, Dener, Juninho???

O presidente vive dizendo que não tem como contratar mais, que estouraria o orçamento. Era só ele ter vetado esse monte de ruim, esse monte de sobras que colocaram na Ressacada sabe-se lá porque, que sobraria para contratar jogadores de qualidade. Hoje temos 10 mil sócios adimplentes (dito pelo próprio presidente), e uma receita da tv de mais ou menos 22 milhões. Com um rebaixamento, passaremos a ter no máximo 2 milhões de conta de tv e como de praxe, uma debandada de sócios. 

Estamos escrevendo a cartilha do rebaixamento certinho, o time toma de 5 e se quer, o treinador corre algum risco. Se não trouxer urgente um goleiro, um lateral esquerdo, um zagueiro e um volante, não vejo como termos alguma chance de escapar do rebaixamento. Nessa virada de turno, todos os times se reforçaram bem, menos o Avaí.

Manda embora logo esse Kleina, trás logo um treinador de verdade, eu iria atrás do Gilmar Dal Pozzo, mora em Florianópolis e conhece muito bem o Avaí. Afasta uns 15 jogadores que nada vão contribuir daqui para frente, escolhe 17, 18 jogadores, se agarra neles e vamos embora.

Para finalizar, presidente é muito bom ver um time sem dívidas nenhuma, mas se houver um rebaixamento, além de toda a culpa ser jogada na sua cola, quero ver fazer futebol com a receita do ano que vem. Ainda mais pela incompetência de vocês, há mais de um ano sem patrocinador master.

sábado, 25 de julho de 2015

Desafio alguém a me apontar que o Avaí é um time organizado?

Eu desafio alguém me mostrar que esse time do Avaí é organizado, que a defesa é bem armada. Um time que toma 22 gols em 15 jogos, que passou apenas um jogo sem ser vazado.

Kleina é muito fraco, o time que joga contra o Avaí, e fizer o jogo por dentro, fatalmente terá facilidades. Foi assim contra a Chapecoense, contra Cruzeiro e hoje novamente. Nossa entrada da área não marca ninguém, Eduardo Neto, que o Kleina diz ser um excelente volante, tem muitas dificuldades técnicas e não marca ninguém.

Em um programa de rádio semana passada, o treinador avaiano disse que Tauã está mais bem preparado do que Rômulo para jogar, daonde ele conseguiu enxergar isso? Rômulo entrou, fez um gol e teve outra oportunidade criada, em 20 minutos fez mais do Tauã o jogo inteiro. Se é para marcar, como Kleina quer, que fosse colocado outro lateral.

Everton Silva entrou no Mineirão semana passada e mudou o jogo, como prêmio, na ausência de Renanzinho, ficou o jogo todo na reserva. Kleina optou por Pablo, mostrando estar perdidinho e sem critério nenhum.

Renana Oliveira parece ser a menina dos olhos do treinador avaiano, impressionante o Avaí novamente terminar o jogo com esse morto em campo. Não corre, não marca, não arma.... logo, não serve para nada.

Kleina arma mal o time, nosso dois zagueiros são lentos, e jogam toda vida expostos. Como alguém pode considerar uma campanha com míseros 17 pontos como um bom trabalho, como uma boa campanha? É muito pouco, esse treinador avaiano é mais um que veio e vai virar estatística, se fosse o Raul comandando o time porque veio da base, a pressão estaria grande. Kleina é muito fraco!

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Como uma bomba

O comentário no dia de hoje sobre interferências nas escalações do Avaí, citando o fato de Claudinei ainda não ter atuado neste campeonato, e ontem ganhando a posição de titular no meio de campo, feito pelo comentarista Roberto Alves, caiu como uma bomba nas redes sociais.

Realmente é muito estranho o fato de Claudinei ter atuado como titular, aliás em minha humilde opinião, o referido atleta nem deveria ter vinda para a Ressacada. Fica a pergunta, estaríamos nós torcedores estar fazendo papel de palhaço novamente?

Espero que o Avaí venha a público e esclareça toda essa situação, se realmente há interferências, demitir todo departamento de futebol, inclusive o treinador Gilson Kleina. Mas só for apenas uma lebre levantada em um momento difícil do clube no campeonato, que se responsabilize o referido comentarista com um processo, exigindo que ele prove tal declaração, e de um ponto final nessa história. 

Confesso que ainda não engoli a escalação de um atleta (caso Antônio Carlos), sem contrato e muito menos a perda do prazo para recorrer da punição do craque Marquinhos, pelo funcionário e advogado do clube, Sandro Barreto. Mais uma vez, o Avaí se atrapalhando nele mesmo!

domingo, 5 de julho de 2015

Os erros individuais, nos custaram dois pontos preciosos

Foi um bom jogo, o Avaí fez uma boa partida, diante do até então líder Sport Recife. Com uma formação alterada, por força de cartões e contusões, o time foi regular e intenso durante toda partida.

Desde o início éramos melhores, mas em um cruzamento lento e alto, Vágner saiu mal do gol e perdeu a disputa com Diego Souza, dando a oportunidade  do time pernambucano sair na frente. O Leão não se abateu com o gol tomado, e organizado seguiu atacando, sempre pelo lado direito pelo incansável Nino Paraíba. 

A insistência surtiu efeito, e aos 34 minutos, Renan aproveitou um cruzamento de Nino Paraíba, ajeitou e ao melhor estilo de atacante, finalizou para empatar o jogo. Não demorou muito para acontecer a virada, três minutos depois, Rômulo cruzou pela direita e na disputa com Anderson Lopes, Samuel Xavier fez contra.

No segundo tempo como era esperado, o Sport veio para cima. O time pernambucano tinha mais posse de bola, mas não ameaçava o goleiro Vagner. No contra ataque, William fez bela jogada e chutou, a bola caprichosamente bateu na trave e saiu.

O jogo estava nos acréscimos e veio o lance capital, a bola veio para a área avaiana, Jubal que era para ter espanado de primeira resolveu dominar a bola, André tomou a sua frente e quando percebe que Jubal da o carrinho, dobra o joelho e cai, o arbitro paraense marcou o pênalti. Pênalti esse que foi convertido por André, cravando o empate no final do jogo.

No estádio, tive a nítida impressão de pênalti. Vendo o lance na tv, ficou claro que a malandragem de André enganou o árbitro. O fato é que Jubal errou duas vezes, primeiro em dominar a bola e não rebater de primeira. Depois em dar um carrinho dentro da área, dando a chance do árbitro assinalar o pênalti, até mesmo porque o atleta do Sport estava de costas, e saindo da área.

O resultado foi péssimo diante das circunstância, mas o Avaí fez um bom jogo. Rômulo não pode ser banco nunca nesse time do Avaí. William mesmo pesado foi bem, com ele em campo, acabou a moleza dos zagueiros adversários.

Estamos apenas a três pontos da zona de rebaixamento, quarta feira temos uma pedreira em São Paulo, enfrentaremos o Palmeiras, que vem de 3 vitórias consecutivas e em plena ascensão no campeonato. 

Perder em São Paulo será um resultado normal, então que agente vá lá, marque forte, mas não abdique de jogar. Precisamos reforçar o elenco, já esta ficando chato e repetitivo esse papo, mas parece que o sr: Arini esta esperando estar com a aguá no pescoço para poder se mexer. Hoje, ficamos com o gostinho de derrota com esse empate.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

As péssimas escolhas de Kleina

Depois de um bom início de campeonato, o Leão vai perdendo as forças e aproximando-se perigosamente do Z-4. A derrota no Rio, deixou expostos as escolhas equivocadas do treinador Gilson Kleina. que rodada após rodada, vem errando tanto na formação inicial quanto nas substituições.

Desfalcados do craque e capitão Marquinhos, Kleina optou por colocar Juninho como titular na armação. Muito tímido, Juninho simplesmente não existiu em quanto esteve em campo. Sua substituição foi pior ainda, quando resolveu trocar, colocou Dener, que nas outras duas vezes que esteve em campo, não conseguiu mostrar qualidades para estar disputando uma série a.

Até agora não entendo qual o critério para a escolha dos dois zagueiros titulares, Jéci que vem sendo nosso zagueiro mais regular, foi o preterido. Antônio Carlos não repete as boas atuações da temporada passada, mas mesmo assim continua sendo titular. Não tem o que inventar, é Jéci e Emerson.

Rômulo não pode ser banco nesse time do Avaí, ele é a melhor opção para ocupar a vaga de Marquinhos, que ficará fora por um longo período por uma lesão no joelho. Depois do que vi na noite de ontem, Anderson Lopes merece mesmo ser titular absoluto do ataqu, e penso que  ao seu lado, Roberto seria a melhor opção, já que Kleina afastou Hugo.

André Lima teve todas as oportunidades e não consegue deslanchar, e William esta completamente fora de forma, uma vergonha para um atleta profissional, já que estamos chegando ao mês de Julho.

O elenco é limitado, e o treinador faz sempre as piores escolhas aliado a um departamento de futebol lento e fraco nas contratações, vai fazendo o Leão descer ladeira abaixo. Desde o início do campeonato viemos dizendo que precisamos de no mínimo mais um meia que possa jogar  ao lado do Marquinhos, ou em sua ausência, substitui-lo. A teimosia do departamento de futebol e a cegueira poderá custar muito caro num futuro bem próximo.

Estamos cansados de ouvir que Fulano é caro, Ciclano é caro e por ai vai. Caro é gastar dinheiro com Dener, Juninho, Renan Oliveira, Uéliton, William Rocha e por ai vai. Ta na hora de acordar, depois não adianta dizer que não tem sorte, é preciso ter competência, o que vem faltando e muito dentro de todos os seguimentos e setores do Avaí Futebol Clube. Aliás, estamos esperando o patrocínio master desde de dezembro do ano passado.