segunda-feira, 11 de abril de 2016

As mudanças não podem parar

Toda essa bagunça que agora que transformou-se o Avaí, fazendo um clube quase centenário passar vergonha, foi cantada por todos nós torcedores a muito tempo. É claro que alguns resultados de campo, escondiam a péssima administração Nilton Macedo, nada mais do que a continuidade da gestão Zunino, que ao meu ver, deu início a esse caus.


Hoje, Nilton Macedo admitiu o que todos nós torcedores avaianos esperávamos, irá se retirar da presidência do clube, diga-se de passagem, pelas portas do fundo. Nilton Macedo em nenhum momento comportou-se como presidente avaiano, despreparado para a função mais importante do clube, é o principal responsável pelo péssimo momento vivido dentro e fora de campo.


Saímos de um problema e caímos em outro, Francisco Batisttotti insiste em não sair junto com o presidente. Batisttotti tem uma rejeição ainda maior que o agora ex-presidente Nilton Macedo. Sem apoio, sem discernimento, Francisco Batisttotti não tem a menor capacidade de gerir o Avaí Futebol Clube. O melhor caminho para o clube sair desta crise institucional grave que se encontra, seria a retirada imediata também do vice presidente Francisco Batisttotti.


Temo pela integridade física de Francisco Batisttotti, tamanho a rejeição de sua pessoa tantos nas redes sociais como as organizadas do clube, embora eu condene completamente partir para a violência física. Batisttotti não estará seguro na presidência do Avaí.


Não podemos esquecer que nossos problemas não resume-se apenas na renuncia do presidente e vice, toda a nossa diretoria deveria sair junto. Na parte do departamento de futebol, é inaceitável um gerente de esportes, responsável pela montagem do time como é Gonçalves, afirmar em entrevista que enganou-se com o orçamento. Só por esse motivo, já deveria ser demitido imediatamente.


Mas o que esperar desse "profissional", que segundo o próprio ex-presidente, foi contratado por ele através do google, em pesquisa feita pelo ex-mandatário do clube. Aliás a única coisa que Gonçalves trouxe ao Avaí, foi Agnello Gonçalves. Aliás, qual a função de Agnello Gonçalves, uma vez que não deu as caras em nenhum momento até agora na Ressacada. Chego a conclusão que veio ao clube apenas para onerar os cofres já esvaziados do Avaí.


No início do ano Eduardo Costa avisou, foi bem claro porque não aceitou assumir o futebol, e que o problema do Avaí era institucional. Ao invés de dar ouvido ao ex-atleta e torcedor avaiano, preferiram apostar mais uma vez em forasteiros. Trouxeram dois cariocas para mais uma vez contar historia a todos nós, o tempo esta encarregando-se de mostrar quem estava certo.


Para finalizar, a mudança começou. Mas não pode parar, Nilton Macedo, Francisco Batisttotti, Marcelo Gonçalves, Agnello Gonçalves, João Mauricio entre outros tantos, estão de hora extra no sul da ilha. Se quisermos um Avaí pelo menos competitivo já na série b, estas mudanças não podem passar da semana que vem. Todos nós avaianos precisamos caminhar juntos e do mesmo lado!











segunda-feira, 28 de março de 2016

"Planejumento"

Todos nós tínhamos noção de que seria um ano complicado, após o rebaixamento para a Série B, e a diretoria capitaneada por Nilton Macedo acabar com o maior orçamento do clube em Agosto, as previsões não eram nada boas.

Chegou-se a conclusão melhor era arrumar a casa, um time jovem e barato, alinhando-se a manutenção do jovem promissor Raul Cabral para o Catarinense, para após o estadual, montar uma equipe competitiva para a Série B.

Desde o início sempre fui a favor desta ideia, se o preço que teríamos que pagar pelos erros cometidos por Nilton Macedo e sua trupe, era apenas evitar rebaixamento no estadual, mas colocaríamos um pouco a casa em dia, eu compraria a ideia.

Depois de um primeiro turno além das expectativas (pelo menos no meu ponto de vista), mergulhamos em uma crise sem fim. Acumulamos 6 derrotas seguidas ( 5 pelo estadual e uma pela Primeira Liga), e a primeira providencia que a diretoria toma, é abandonar o planejamento. Raul Cabral que foi colocado para tocar o projeto já não serve mais, e por outro lado, Gonçalves que caiu de paraquedas no Sul da Ilha, segui firme e forte.

Nossos problemas passam longe de ser a comissão técnica, temos um time extremamente jovem, com bons valores é bem verdade, mas na maioria amadores. Somos um time de juniores, disputando um campeonato profissional. É verdade também que o campeonato tem um nível baixíssimo, mas são atletas ainda em formação, sem estrutura para segurar o tranco vestindo a tradicional camisa do Avaí.

É muito mais fácil para o senhor Gonçalves juntamente com Nilton Macedo trocar a comissão técnica. Quem Gonçalves contratou além de seu amigo Agnelo Gonçalves? Somos um clube bagunçado, onde o presidente pouco se importa com a instituição e muito menos entende de futebol.

Até quando iremos ter que aguentar forasteiros com o carioca Gonçalves, que acha que com um  bom papo consegue nos enganar? Estou de saco cheio, Nilton Macedo, Batistotti, Gonçalves, estão acabando com o nosso clube. E ainda havia torcedores contra a entrada de Eduardo Costa no inicio do ano, o tempo esta se encarregando de mostrar que estava certo, e quem está errado.

quinta-feira, 24 de março de 2016

Portões pichados na Ressacada

Hoje os portões da Ressacada amanheceram pichados, neles os "torcedores" pediam as saídas de Nilton Macedo Machado e de seu vice Batistotti. Também haviam pichações endereçadas ao empresário Eduardo Uram e ao Gerente de Esportes Marcelo Gonçalves, questionando qual a relação entre os dois.

Sobre Nilton Macedo Machado e Francisco Batistotti não temos mais nada a falar, pois é quase unanimidade (toda unanimidade é burra), que os dois já deveriam estar bem longe da Ressacada, assim como diversos outros membros do administrativo e diretoria. 

O que me chamou a atenção foi a cobrança em cima de Eduardo Uram, pois sabidamente é o maior empresário do futebol brasileiro, veio ao Avaí para tentar ajudar ao clube, quando vivíamos uma crise de credibilidade parecida com a que estamos vivendo.

Obviamente que Eduardo Uram como todo empresário precisa fazer negócios, pois é seu trabalho. Muitos questionam o fato de só vir para o Avaí jogadores com qualidades menores ou apostas ao que o empresário tem em seu portfólio. É uma matemática simples, o Avaí pode pagar jogadores de no máximo 30 mil, como então virá jogadores que ganham na faixa de 100 mil?

Nós torcedores precisamos entender que o clube vive grave crise financeira, causada por esta administração e também da passada. Querer culpar qualquer empresário que seja me parece absurdo, uma vez que se o sr: Eduardo Uram não estivesse ajudando o Avaí, as coisas estariam muito piores.

Tenho na minha consciência que o Avaí precisa muito mais do senhor Eduardo Uram do que o empresário precisa do clube. Precisamos direcionar nossas críticas as pessoas certas, o fato é que precisa ter mudanças na administração do clube. 

Sobre o relacionamento entre Eduardo Uram e Marcelo Gonçalves ao que me consta é restritamente profissional, da mesma forma como era com o ex-gerente de futebol Carlos Arini. Sejamos inteligentes, não vamos piorar as coisas, cobrar do empresário que não está no dia a dia do clube não me parece o caminho correto. Precisamos cobrar dos Senhores Nilton Macedo, Francisco Batistotti, João Maurício Candido (diretor financeiro) e também de Marcelo Gonçalves. Assim eu penso!


terça-feira, 22 de março de 2016

Nosso problema é institucional

O que está acontecendo em campo há anos, derrotas, vexames atrás de vexames, é tudo fruto de uma administração falida, sem critério, e que vem mamando nas tetas do clube. No ano passado, o AVAÍ teve o maior orçamento da história do clube, e os diretores juntamente com o presidente Nilton Macedo e seu vice Francisco Batistotti, conseguiram acabar com o dinheiro em Agosto.

É triste termos que vir aqui neste espaço, em plena a temporada, onde deveríamos estar conentando os jogos, situação no campeonato e projeção de Série B, voltar a tocar num assunto tão chato e tão delicado.

O Avaí é uma bagunça administrativa, com um quadro enorme de funcionários antigos, que sempre tem espaço para mais um "amigo do amigo", assim inchando a maquina. Funcionários que já passaram por todas as áreas do clube, administrativo, comercial, futebol, e agora sem "função", continua a receber alto salário para tais funções que um outro profissional, faria com menos da metade do que é gasto hoje.

Qual o medo do Conselho Deliberativo em bater de frente com o presidente? O Conselho Deliberativo está sendo conivente com essa situação, com a destruição que o presidente e sua diretoria executiva estão causando ao clube.

Esses desastres que estamos vendo em campo, é fruto da incompetência de uma diretoria omissa, fraca e que não entende nada de futebol, e principalmente de Avaí. Quando Eduardo Costa deu uma entrevista dura as rádios, criticando a estrutura administrativa do clube, muita gente o criticou.

 O tempo vai nos mostrando quem estava certo e quem sempre errado. Temo muito pelo futuro do clube, somos um clube sem dinheiro e mais, sem a mínima credibilidade. Lamentável!

domingo, 6 de março de 2016

Derrota na estréia do returno

O resultado de vitória não veio, esbarramos em nossas limitações individuais. Fizemos um bom jogo, com posse de bola, tentando entrar na defesa do Criciúma, mas sem sucesso. N\as únicas duas chances claras de gol que tivemos, Braga perdeu um gol cara a cara com goleiro e Yuri jogou para longe a chance de fazer o gol. 
Nosso primeiro tempo foi abaixo, não conseguimos furar o bloqueio defensivo do Tigre e ainda falhamos na defesa, ocasionando os dois gols do Criciúma. Nosso segundo tempo foi melhor, conseguimos pressionar e empurrar o Criciúma para trás, mas somente depois da entrada de Lucas Fernandes, uma vez que Diego Jardel mais uma vez nada produziu. Disperso, lento e desinteressado, o "camisa 10" avaiano foi muito mal no jogo.

Lucas Fernandes é o único atleta em nosso elenco que tem um bom 1x1, várias vezes ele conseguiu levar vantagem em cima dos defensores do Tigre, desequilibrando a defesa e causando perigos ao gol adversário. Entre todos, Braga mais uma vez se destacou. Embora tenha perdido um gol cara a cara, me agrada muito o fato de vê-lo chegando na área adversária.

Por fim o placar foi justo, foi a vitória da eficiência do Criciúma. O Avaí tentou, mas não teve a competência de colocar a bola na rede. Organizado, sem se descontrolar, mas com limitações técnicas. Hoje temos poucos, para não dizer que não temos em nosso elenco, jogadores que decidam um jogo. Vida que segue, sabíamos que o Catarinense seria muito difícil pela situação que o Amado deixou o clube no ano passado. Não adianta pensar em final agora, precisamos pensar jogo a jogo, se lá na frente tivermos condições de disputar o titulo, será um plus a mais!

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Melhor do que eu esperava, mas muito abaixo das nossas tradições

Confesso que quando vi a escalação do Avaí, no jogo diante da Chapecoense, temi pelo pior. Olhando o nosso time totalmente desfigurado, recheados de atletas da base, alguns sem nenhum experiência me deixou assustado. 

Quando a bola rolou não foi isso que vimos, assisti a um jogo extremamente equilibrado e que transformou o goleiro Danilo da Chape, em um dos melhores homens em campo. Se já temos dificuldades com todos os atletas a disposição, imagina atuar diante do favorito ao título, em um campo neutro, totalmente desfigurado.

No final, o placar de 2x1 nos deixou com certo alívio, pois parecia que a goleada viria. Vimos um time organizado em campo, embora que pouco entrosamento, mas com muita falta de qualidade. Fiquei satisfeito com o que vi, pois esperava muito pouco e acabei vendo um time criando diversas chances. Inclusive, o jogo que mais criou ofensivamente.

Mas obviamente me causa muita preocupação essa mentalidade, perder por pouco, ou não perder, passou a ser a tônica com esse elenco que foi montado. É triste ver o Avaí se comportando como time pequeno, Nilton Macedo Machado está acabando com um clube quase centenário. O que mais me assusta, é essa inércia e demora do conselho Deliberativo em "arrancar" esse presidente do poder. O Conselho Deliberativo é tão culpado quanto a esse presidente que está no comando.

Estamos em colapso, atletas desde o ano passado sem receber salários, sem patrocínio master há quase 2 anos e simplesmente ninguém faz nada para destituir esse presidente. Nilton Macedo Machado não está nem ai para o Avaí Futebol Clube.

Querer cobrar da comissão técnica com esse material humano que eles tem em mãos parece absurdo, aliás que outro treinador fará melhor que o Raul com esse elenco? Ninguém quer vir para o Avaí, essa fama de mal pagador que Nilton Macedo Machado deixou o clube chegar, já correu o Brasil. 

Infelizmente essa é a realidade, amanhã em Joinville mais uma vez temo por ser goleado. Não temos volantes para o jogo de amanhã, provavelmente iremos novamente de Renato Jr e Braga. Vergonha, esse é o sentimento que temos dessa diretoria e desse presidente. Mais uma semana se passou e nada, esperando que alguém do conselho tenha a coragem de tirar o Amado do poder antes que seja tarde!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Vitória convincente do Leão

Foi uma vitória consistente, uma atuação muito boa e muito acima do que eu esperava principalmente neste início de competição. O bom jogo passou muito pela excelente partida que fez Diego Jardel, aliás, méritos totais de Raul Cabral e sua comissão técnica, que mudou o posicionamento do meia sendo decisivo na vitória avaiana com 2 gols e boas assistências.

Em nenhum momento o Avaí correu perigo no jogo, com paciência e boa posse de bola, o Leão construiu uma vitória consistente, e que enche de esperanças o torcedor avaiano. A entrada de João Filipe e principalmente Rafinha, deram qualidade e consistência no setor de meio de campo.

Vitor Costa que havia feito 30 minutos muito ruim em Criciúma, também fez um bom jogo, deixando a impressão que pode crescer muito durante a competição. Renato que causou boa impressão no jogo contra o Grêmio e repetiu a boa apresentação na noite de ontem, principalmente no ataque. Tanto Renato quanto Vitor Costa ainda deixam buracos no setor defensivo, mas que pode facilmente serem resolvidos.

Individualmente, todos os jogadores foram bem, fato este que tornou o coletivo muito forte na noite de ontem. É claro que é muito cedo, são apenas 4 jogos oficiais, mas o técnico Raul Cabral começa a dar uma cara ao time. O zagueiro Gabriel recém promovido da base vem crescendo de produção, talvez um dos nossos problemas tenha a solução mais perto do que imaginamos. 

Claro que é um time em formação e ainda assim muito jovem, na entrevista pós-jogo o treinador Raul Cabral foi claro ao dizer que ainda espera oscilação desta equipe. Já no próximo domingo de carnaval enfrentaremos o Camboriú, fora de casa. Esse jogo pode ser um divisor de aguas, fazendo outro bom jogo e conseguindo um resultado positivo, poderá dar tranquilidade ao jovem grupo avaiano e trazer uma confiança ainda maior. Que venha o próximo desafio.